linha top 1
Governo Federal
Universidade Federal de Roraima

A pesquisa intitulada “Análise Epidemiológica da Covid-19 em Roraima” integra o projeto “UFRR em Ação contra a COVID-19” e avaliou a aceleração das infecções, com base nos boletins epidemiológicos da Secretaria Estadual de Saúde.

O projeto é desenvolvido no âmbito do programa “UFRR no apoio ao enfrentamento à pandemia provocada pelo novo coronavírus (SARS-COV-2), contribuindo no desenvolvimento de pesquisas e ações de extensão relacionadas ao enfrentamento da pandemia da COVID-19.

De acordo com o coordenador do projeto, professor Dr. Calvino Camargo, o grupo é composto por docentes de diferentes áreas do conhecimento, como Medicina, Ciências da Computação, Matemática, Geografia e Psicologia. Agrega estudantes dos cursos de mestrado em Ciências da Saúde e Geografia, da graduação em Engenharia, Matemática, Ciências da Computação e Medicina. “Esta é uma experiência ímpar de trabalho interdisciplinar em benefício do desenvolvimento da área da saúde na região”, destacou o coordenador.

A partir do projeto, foi produzido um artigo científico aceito para publicação em revista especializada. Soma-se aos resultados, a parceria com a Coordenação de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde (SESAU), que contribui com a inovação tecnológica nas atividades de alimentação e aprimoramento dos registros de informações relacionadas aos dados epidemiológicos da COVID-19.

Pesquisa – Um dos problemas que mais preocupam a população é o fato de doenças infecciosas se alastrarem rapidamente, causando muitas mortes. A pandemia ocorre quando essas doenças se espalham em alta velocidade em um curto período de tempo em escala global. A modelagem matemática em epidemiologia é feita por meio do estudo de equações equivalentes à interação entre a população e o ambiente, permitindo uma análise detalhada da doença

O grupo da UFRR utilizou o modelo matemático SIR, criado no ano de 1927 para estudos epidemiológicos, que era pouco conhecido pela sociedade até a pandemia de SARS-CoV-2. O modelo é utilizado para estudar comportamentos epidêmicos no decorrer da pandemia, estudando padrões, causas e efeitos da doença na população.

Como resultado, foi divulgada, no final do mês de junho, por meio da pesquisa “Análise Epidemiológica da Covid-19 em Roraima” uma estimativa do avanço da doença em Roraima. Os dados levantados pelo projeto com base no avanço da doença, no período de 21 de março a 20 de junho no estado (três meses), estimam que Roraima pode chegar ao pico de contaminação na segunda semana do mês de agosto, afetando até 53 mil pessoas.

Os dados revelaram que até o dia 20 de junho, Roraima estava atrás apenas dos estados Amazonas e Amapá na taxa de infecção pelo vírus no Brasil. Os dados são obtidos no cruzamento da taxa de incidência para um grupo de 100 mil pessoas. O índice de letalidade é calculado a partir do número de óbitos dividido pelo número total de infectados. A taxa de letalidade identificada no estado de Roraima é de 3,05 óbitos por cada 100 pessoas infectadas.

 

arte na escola
ncontruir
itcpes